NOTÍCIAS

Postado em 23 de Novembro de 2017 às 10h43

Dia do Síndico: cargo exige pulso firme e qualificação

Institucional (33)Condomínios (14)

Data é celebrada em 30 de novembro e síndicos dão dicas para quem está começando na função

Fundamental para o bom andamento das relações interpessoais em um ou mais edifícios (condomínio) e responsável pelo cumprimento de regras internas e legislações externas, além do comprometimento com a ordem, segurança, manutenção e limpeza destes ambientes. Este é o síndico, cujo dia nacional é celebrado em 30 de novembro.

O síndico Aguinaldo Vitório administra o Edifício Josephina, no Centro de Criciúma, há cerca de seis anos e afirma que ocupa a função com empenho e orgulho. “Não lembro de acontecimentos ruins, tenho os vizinhos como uma família mesmo. Tento resolver tudo com harmonia, felizmente não temos inadimplência no prédio, está tudo do jeito que um síndico gosta”, avalia.

Ele conta que o edifício é mais antigo e ele precisou correr atrás de praticamente tudo o que está relacionado a parte burocrática da administração de um prédio. “Não tínhamos nem CNPJ quando assumi, mas lido bem com a parte burocrática e isso é fundamental pra quem é síndico. Gosto de ler, me informar sobre leis e outras regras, o que é outra coisa importante”, ressalta.

A síndica Giselly Saturnino também está no cargo há cerca de seis anos. Ela é responsável pelo Residencial Montparnasse, no Centro de Criciúma, com 12 andares e 72 apartamentos. São diversos moradores, mas ela garante que os problemas que surgem são resolvidos da melhor forma possível entre eles. Inclusive, Giselly relata que cresceu bastante como pessoa e profissional nesses anos como síndica e dá dicas para quem ainda está começando.

“É importante saber lidar com a opinião das pessoas, saber ouvir, mas também ser firme e objetiva. Hoje, vou preparada para as reuniões, elaboro as propostas antes, estudo as leis. Com isso, conseguimos resolver problemas que muitas vezes ficam empatados. Sobre a reforma, por exemplo: muitos achavam que era cedo para fazer, mas apresentei nosso fundo de reserva e as propostas dos fornecedores já estavam prontas, então os moradores viram que era viável e aceitaram. Isso é gerir”, destaca.

Responsabilidades

O presidente do Sindicato da Habitação do Sul de Santa Catarina (Secovi Sul/SC), Juarez Sabino, lembra que o cargo de síndico existe para preservar o bem de terceiros. “O síndico tem a função de gerir, cobrar, comandar e até punir, mas tudo isso por um propósito maior, que é garantir a conservação do bem de terceiros, bem que deve ser cuidado para continuar sendo valorizado”, pontua.

Tanto os direitos, como os deveres dos condôminos de edifícios residenciais e comerciais estão expressos no Código Civil e Código de Defesa do Consumidor, portanto, são assegurados pela Lei. O devido cumprimento destas leis deve ser monitorado pelos síndicos. “É fundamental conhecer a legislação vigente e se qualificar. O síndico presta um serviço burocrático para terceiros, mas a maioria não está preparada para a função, por isso o Secovi tem promovido cursos, palestras e consultorias com frequência”, finaliza Sabino.

Atenciosamente,
Nazario & Bortot Comunicação
Assessoria de Imprensa Secovi Sul/SC

Texto: Vanessa Amando | Partner NBCom

Veja também

Secovis de todo o Brasil publicam agenda legislativa do setor imobiliário11/05/17 Documento contém análise sobre os principais projetos de lei em tramitação no Congresso que interferem no segmento Temas relevantes para o setor de comércio e serviços imobiliários, entre eles a elevada carga tributária; os distratos na comercialização de imóveis; a segurança jurídica na locação; os terrenos......

Voltar para NOTÍCIAS